Numerosos órgãos chegam a um consenso sobre a ortodontia DIY

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

I agree(Required)
This field is for validation purposes and should be left unchanged.
De acordo com um consenso recente, um tratamento ortodôntico deve ser realizado por um dentista totalmente qualificado e incluir um exame inicial completo do paciente, bem como acompanhamento clínico regular. (Imagem: Aleksandr Rybalko/Shutterstock)
Iveta Ramonaite, Dental Tribune International

By Iveta Ramonaite, Dental Tribune International

Wed. 5. January 2022

save

LONDRES, Reino Unido: Buscando promover a segurança do paciente na odontologia, a Sociedade Britânica de Ortodontia (BOS- sigla em inglês) anunciou recentemente que aderiu a um consenso europeu sobre o tratamento remoto da má oclusão. O consenso envolve 31 sociedades dentárias e ortodônticas profissionais, associações e instituições em 25 países, endossando uma declaração conjunta da Federação Europeia de Associações de Especialistas em Ortodontia (EFOSA- sigla em inglês) sobre o tratamento remoto de mal oclusões, que consideram inaceitáveis e potencialmente perigosas.

A Odontologia DIY (faça você mesmo), que inclui procedimentos auto executáveis, como obturações e clareamento dental, extração e alisamento, ganhou geração crescente durante a pandemia de SARS-CoV-2. Isso ocorre porque as pessoas se tornaram mais conscientes de seus dentes durante videoconferências de perto e o acesso à Odontologia foi severamente restrito. Apesar de sua popularidade, o tratamento ortodôntico remoto tem causado grande preocupação com a segurança do paciente e mudou o foco de uma abordagem centrada no paciente para a Odontologia, que enfatiza o papel crucial dos prestadores de serviços odontológicos dentro do ambiente clínico para garantir os mais altos padrões de atendimento.

De acordo com o comunicado de imprensa do BOS, cada vez mais empresas estão promovendo e vendendo tratamento ortodôntico, incluindo alinhadores, por correio, sem diagnóstico inicial ou acompanhamento clínico regular. Eles atraem clientes afirmando que o tratamento é acessível, rápido é seguro. No entanto, muitas vezes os pacientes não são avisados ​​de que os tratamentos ortodônticos caseiros podem causar sérios riscos à saúde.

A Ortodontia DIY não atende aos requisitos básicos estabelecidos pela EFOSA e, portanto, não pode ser justificada, de acordo com o BOS.

“A unanimidade demonstrada pelos ortodontistas europeus sobre o assunto deixa claro que a Ortodontia é mais do que apenas alinhar os dentes anteriores. Trata-se de uma abordagem holística de atendimento em que os melhores interesses do paciente estão no centro de nossos tratamentos”, disse o coordenador do projeto, Prof. Christian Scherer, em um comunicado à imprensa. Acrescentou que os pacientes devem certificar-se de que o tratamento a que estão submetidos está a ser realizado de acordo com os requisitos básicos formulados na declaração conjunta.

Comentando sobre o assunto, o Dr. AnjliPatel, diretor de relações externas do BOS, disse: “O tratamento ortodôntico sem um exame clínico completo face a face do paciente, imagens de raios-X e monitoramento clínico regular, é potencialmente perigoso para o paciente saúde. Qualquer tratamento auto administrado e remoto não pode ser justificado de uma perspectiva médica profissional e, portanto, representa uma violação grave dos padrões éticos, médicos e odontológicos.”

Nota editorial: A declaração conjunta sobre o tratamento remoto da má oclusão está disponível em 12 idiomas e pode ser visualizada aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *