Ortodontia remota: BOS lança nova orientação sobre teleodontologia

Search Dental Tribune

Ortodontia remota: BOS lança nova orientação sobre teleodontologia

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Nova orientação sobre teleodontologia da Sociedade Britânica de Ortodontia oferece informações atualizadas sobre como fornecer atendimento ortodôntico de qualidade remotamente. (Imagem: dencg/Shutterstock)

LONDRES, Reino Unido: A Sociedade Britânica de Ortodontia (BOS-sigla em inglês) divulgou recentemente orientações sobre teleodontologia e interações remotas no tratamento ortodôntico. Ao oferecer informações sobre os atuais marcos regulatórios e acesso a recursos, além de destacar as melhores práticas operacionais, a orientação é planejada para ajudar os ortodontistas e suas equipes a obter uma compreensão mais profunda do escopo dos serviços e tecnologias de teleodontologia para atendimento ortodôntico.

A teleodontologia recentemente viu um aumento dramático na demanda e está alterando lentamente as expectativas dos pacientes em relação aos cuidados. Considerado um substituto válidopara consultas iniciais de internamento, tem sido amplamente aceitepor dentistas e pacientes, resultando em inúmeras clínicas odontológicas tendo que modificar seus serviçosincluir serviços de teleodontologia.

De acordo com a orientação, os profissionais da odontologia podem se beneficiar muito com a teleodontologia. Por um lado, tem o potencial de melhorar o atendimento ao paciente e ajudar a alcançar os resultados desejados do tratamento. Quando integrada ao atendimento ortodôntico, a teleodontologia também pode oferecer melhor acessibilidade e satisfação do paciente. Mais importante ainda, diminui o número de consultas físicas, culminando na redução do impacto ambiental e menos contato pessoal, um benefício que ganhou maior valor durante a pandemia do COVID-19.

Teleodontologia em Ortodontia: Código de Prática

De acordo com o BOS, os médicos devem estar cientes de alguns princípios fundamentais ao realizar uma consulta ortodôntica remota. Por exemplo, a orientação indica que, seguindo o escopo de orientação prática do Conselho Geral de Odontologia, é vital que todas as decisões diagnósticas e prescritivas sejam tomadas por um ortodontista ou dentista registrado que tenha treinamento e habilidades adequadas e esteja diretamente envolvido no monitoramento de atendimento ortodôntico.

Também aponta certos direitos dos pacientes. Ou seja, explica que os pacientes que estão em tratamento devem receber as informações de contato do médico responsável e poder fazer contato direto ou agendar consultas presenciais quando necessário. No caso do tratamento com alinhador transparente, os pacientes também devem ser informados não apenas sobre os benefícios, mas também sobre as limitações de tal tratamento e informados de que serão submetidos a um procedimento médico envolvendo um dispositivo médico.

Ortodontia faça você mesmo ainda causa preocupação

O BOS afirmou que continua a ter preocupações quanto ao processo adequado de exame, diagnóstico e consentimento para ortodontia faça você mesmo. Também expressou preocupações sobre a supervisão contínua e a natureza do relacionamento médico-paciente.

Comentando sobre o assunto, o diretor de relações externas da BOS, Dr. Anjli Patel, disse em um comunicado à imprensa: “Se usadas com responsabilidade, as tecnologias digitais e ferramentas ou aplicativos associados têm potencial para melhorar o atendimento profissional e melhorar os resultados e a conveniência do paciente, adicionando uma maneira potencialmente conveniente para os médicos se envolverem com pacientes atuais ou potenciais”.

Patel continuou alertando que, se usada incorretamente, a ortodontia remota pode levar a consequências indesejáveis: “No entanto, ela nunca deve ser usada para alterar a prática clínica de tal forma que a segurança do paciente, o consentimento válido ou o planejamento e os resultados do tratamento sejam comprometidos”.

Em linha com o alerta do Dr. Patel, a orientação destaca a necessidade de que as leis, regulamentos e práticas profissionais sejam adaptados para incorporar com sucesso a teleodontologia e garantir atendimento de qualidade.

Mais informações sobre a orientação podem ser encontradas aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement