Dentistas na Indonésia estão morrendo de COVID-19

Search Dental Tribune

Dentistas na Indonésia estão morrendo de COVID-19

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Os meios de comunicação indonésios reportaram que os dentistas do país estão fechando suas clínicas por medo de serem infectados pelo COVID-19. (Imagem: riza azhari/ Shutterstock)
Jeremy Booth, DTI

By Jeremy Booth, DTI

sex. 17 abril 2020

save

JACARTA, Indonésia: A Associação Médica da Indonésia confirmou que 24 profissionais médicos morreram no país por causa do COVID-19, seis dos quais eram dentistas. Nem todos os que morreram estavam trabalhando na linha de frente na batalha contra a doença. A equipe de resposta do COVID-19 do governo apelou ao Ministério da Saúde para proteger médicos e dentistas, aconselhando-os a encerrar suas práticas.

Segundo o jornal Jakarta Post, Doni Monardo, chefe da Agência Nacional de Mitigação de Desastres (BNPB- sigla em inglês), disse que o número de casos confirmados de COVID-19 entre médicos e trabalhadores médicos estava aumentando. Durante uma reunião remota da Câmara dos Deputados em 6 de abril, Doni disse: “Mais de 20 de nossos médicos morreram [do COVID-19]. Alguns deles aparentemente não estavam na linha de frente. Alguns deles eram dentistas e otorrinolaringologistas. Ele disse que a BNPB havia solicitado ao Ministério da Saúde que instruísse dentistas e otorrinolaringologistas a encerrarem suas práticas por enquanto. "Se eles clinicarem, deve ser apenas para pacientes que estão gravemente [doentes]", insistiu.

A Associação Indonésia de Odontologia (AIO) não aconselhou os dentistas no país a fechar suas clínicas ou adiar o tratamento não emergencial, diferentemente das recomendações de associações odontológicas nacionais em vários países, como China, Paquistão, Índia, Canadá, Itália e EUA. Em vez disso, solicitou aos dentistas - principalmente aqueles com mais de 60 anos – a redução do horário de trabalho e pediu ao público que não fosse ao dentista durante o surto, a menos que precisasse de cuidados urgentes.

O Dr. Sri Hananto Seno, presidente da AIO, reconheceu ao jornal que os procedimentos odontológicos deixam dentistas e técnicos em higiene bucal particularmente vulneráveis à contração da doença. Hananto disse que a maioria dos dentistas seguiu o conselho e que apenas cerca de 30% dos dentistas na área de Jacarta ainda atendem em hospitais para atender casos de emergência.

A Indonésia havia realizado apenas 450 testes de SARS-CoV-2 até 6 de março - significativamente menos que outros países do sudeste asiático - e o país demorou a relatar quaisquer casos confirmados da doença. Isso levou a suspeitas da comunidade internacional de que o governo do arquipélago populoso não estava realizando testes suficientes e que o vírus SARS-CoV-2 estava se espalhando sem controle.

Em 16 de abril, havia 5.136 casos confirmados de COVID-19 na Indonésia e 469 pessoas morreram com a doença, segundo dados da Universidade Johns Hopkins. 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement