DT News - Brazil - Novo estudo relata problemas de não conformidade com produtos de clareamento dentário

Search Dental Tribune

Novo estudo relata problemas de não conformidade com produtos de clareamento dentário

Um estudo recente sugeriu que os produtos de clareamento dental devem permanecer sob monitoramento rigoroso. (Foto: Bogdan Sonjachnyj / Shutterstock)

seg. 24 junho 2019

guardar

ESTRASBURGO, França: Em um recente estudo de vigilância de mercado, a European Network of Official Cosmetics Control Laboratories (OCCLs) avaliou os produtos cosméticos para branqueamento dentário para verificar sua conformidade com os regulamentos europeus ou nacionais e coletar informações sobre seus ingredientes ativos. As conclusões sugerem que um grande número de produtos cosméticos não cumpre os regulamentos da União Europeia ou nacionais para produtos cosméticos e devem ser acompanhados de perto pelas autoridades nacionais competentes e pelos OCCLs.

The study was coordinated by the European Directorate for the Quality of Medicines and HealthCare.O estudo foi coordenado pela European Directorate for the Quality of Medicines and HealthCare. No total, 261 amostras foram analisadas por 13 OCCLs entre 2013 e 2017. Quase metade das amostras coletadas foram cremes dentais clareadores. Géis de clareamento representaram 23 por cento das amostras, enquanto os restantes 30 por cento eram branqueadores dentais usando moldeiras, tiras de clareamento, branqueadores, enxaguantes bucais e produtos cosméticos em geral.

Os resultados mostraram que a maioria dos produtos, 68 por cento, foram fabricados em países europeus. Vários produtos não foram registrados no Cosmetic Products Notification Portal e os rótulos de alguns produtos relataram erroneamente a marcação CE, um símbolo que indica a conformidade com os padrões de saúde, segurança e proteção ambiental para produtos fabricados ou vendidos na European Economic Area. A conformidade geral dos produtos de clareamento dentário testados no estudo foi de 71 por cento. As questões de não conformidade diziam respeito ao alto teor de peróxido de hidrogênio, a presença de uma substância CMR, perborato de sódio e questões de rotulagem. As substâncias CMR são aquelas que se mostraram carcinogênicas, mutagênicas ou tóxicas para a reprodução. Não foram encontradas questões de não conformidade relacionadas à contaminação microbiológica, enquanto enxaguatórios bucais e enxaguantes de clareamento testados no estudo foram considerados em conformidade com todas as normas de segurança.

A categoria de cosméticos que apresentou a maior porcentagem de não conformidade foi a de branqueadores com pincel (78%), seguido de branqueadores dentais com moldeiras (59%), tiras de branqueamento (53%) e gel de clareamento (45%). Pasta de dentes foi o produto mais compatível nesta categoria (3%).

Segundo os pesquisadores, nenhum dos produtos foi recolhido após o estudo. No entanto, para alguns produtos, os resultados obtidos levaram à retirada voluntária do mercado, demandas por medidas corretivas ou proibições de vendas. Por fim, o estudo sugeriu que as autoridades nacionais competentes e os OCCLs continuem a trabalhar em estreita colaboração para evitar a rotulagem incorreta de produtos cosméticos como dispositivos médicos.

advertisement
advertisement