Dental Tribune Brazil

Produtos de clareamento dentário podem danificar o tecido dentinário

ORLANDO, Flórida, EUA: Em três novos estudos, pesquisadores descobriram recentemente que o peróxido de hidrogênio, mesmo na concentração usada em tiras de clareamento sem receita médica, pode danificar o tecido dentinário rico em proteínas, e colágeno e proteínas sem colágeno em particular. A equipe de pesquisa está planejando agora caracterizar ainda mais os fragmentos de proteína liberados quando o colágeno é tratado com peróxido de hidrogênio e determinar se o peróxido de hidrogênio tem o mesmo impacto sobre outras proteínas nos dentes.

Enquanto a maioria dos estudos de tiras de clareamento focam no esmalte dos dentes, que contém muito pouca proteína, os estudos atuais focam na dentina, que contém altos níveis de proteína, a maioria dos quais é o colágeno. Trabalhos anteriores mostraram que o peróxido de hidrogênio pode penetrar no esmalte e na dentina, e que o colágeno na camada de dentina diminuiu quando os dentes foram tratados com tiras de clareamento. "Procuramos caracterizar ainda mais o que o peróxido de hidrogênio estava fazendo para o colágeno", disse a Dra. Kelly A. Keenan, Professora Associada de Química e de Bioquímica / Biologia Molecular da Faculdade de Ciências Naturais e Matemática da Universidade de Stockton. "Nós usamos dentes inteiros para os estudos e focamos no impacto que o peróxido de hidrogênio tem nas proteínas."

No novo estudo, os pesquisadores demonstraram que a principal proteína da dentina é convertida em fragmentos menores quando tratada com peróxido de hidrogênio. Em experimentos adicionais, eles trataram o colágeno puro com peróxido de hidrogênio e, em seguida, analisaram a proteína usando um método de laboratório de eletroforese em gel que permite a visualização da proteína.

"Nossos resultados mostraram que o tratamento com concentrações de peróxido de hidrogênio semelhantes às encontradas nas tiras de clareamento é suficiente para fazer com que a proteína original do colágeno desapareça, o que é presumivelmente devido à formação de muitos fragmentos menores", acrescentou Keenan.

Os pesquisadores especificaram que seus experimentos não abordaram se o colágeno e outras proteínas nos dentes podem ser regenerados. Portanto, não está claro se o dano dentário é permanente.

Os resumos do estudo (resumos um , dois e três ) foram apresentados no encontro anual da Sociedade Americana de Bioquímica e Biologia Molecular, realizado de 6 a 9 de abril em Orlando.

Comments are closed here.

© 2020 - All rights reserved - Dental Tribune International