DT News - Brazil - Estudo mostra impacto da crise econômica na saúde odontológica em Portugal

Search Dental Tribune

Estudo mostra impacto da crise econômica na saúde odontológica em Portugal

As conclusões de um estudo de saúde odontológica portuguesa mostram que a crise financeira mundial afetou o sistema de saúde português. Muitas pessoas enfrentam problemas financeiros e, por conseguinte, não visitam o dentista. (Foto: Champion studio/Shuterstock)
Dental Tribune International

Dental Tribune International

qua. 1 abril 2015

guardar

PORTO, Portugal: Os resultados do primeiro National Oral Health Barometer, um estudo em saúde bucal realizado pela Associação Odontológica Portuguesa, indicam que a crise financeira que atingiu o mundo em 2008 teve um impacto significativo no acesso a cuidados de saúde odontológica em Portugal. O estudo mostrou que as questões monetárias foram o principal motivo pelo qual as pessoas entrevistadas não consultaram um dentista no último ano.

Principalmente por razões de ordem financeira, 20,9% dos participantes tiveram menos idas ao dentista no último ano. Mais do que 8% declararam que nunca foram ao dentista.

Embora muitas pessoas relataram ter dificuldade em beber ou comer devido a problemas dentários, apenas 48,8% dos participantes do estudo disseram que visitam o dentista para um check-up dentário uma vez por ano e 29,5% afirmaram que só vêm o dentista em caso de uma emergência ou dor de dente.

A sondagem também mostrou que 70% da população portuguesa tem alguns dentes faltando e mais de 20% têm pelo menos dez dentes ausentes, enquanto que 7% são desdentados. Da última, somente 7,7% usa próteses dentárias fixas e 36,2% utiliza outras próteses. Isso significa que mais de 56% não têm dentaduras ou próteses.

No que se refere aos hábitos de higiene oral, a sondagem mostrou que 97,3% dos participantes escovam os dentes regularmente, e 72,7% escovam mais de duas vezes por dia. No entanto, 54,4% disseram que não usam enxague bucal e 76,2% não usam fio dental.

"Os resultados do barometro mostram que ainda há muito a ser feito em termos de saúde odontológica em Portugal," disse o Dr. Orlando Monteiro da Silva, Presidente da Associação Odontológica Portuguesa e ex-Presidente da FDI World Dental Federation. "Doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e infecções são altamente influenciadas pela saúde bucal. As pessoas continuam a não ir ao dentista, o que significa que, quando eles vão, eles já estão sofrendo de graves patologias. O número de pessoas desdentadas é extremamente alto, o que restringe uma dieta correta, colocando em risco a saúde de modo geral"

As conclusões são baseadas em 1.102 entrevistas, realizadas em Portugal e foram apresentados pela primeira vez no 23º congresso anual da Associação Odontológica Portuguesa, que foi realizado de 6 a 8 de Novembro de 2014 no Porto.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement