Dental Tribune Brazil

As evidências sugerem a tríade de sintomas mais comuns em pacientes com COVID-19

BRASÍLIA, Brasil: Desde o início da pandemia, a cavidade oral tem sido destacada como um eixo de infecção potencialmente relevante com maior resposta inflamatória nos tecidos circundantes. Isso resultou em aumento do interesse internacional na investigação do assunto. Um estudo atual confirma os achados anteriores, ou seja, que a xerostomia, a disfunção do paladar e as lesões da mucosa oral se manifestam mais comumente em pacientes com COVID-19.

No início do ano, o Dental Tribune International relatou sobre cientistas no Irã e na Espanha que descobriram que pacientes com COVID-19 desenvolvem uma série de manifestações orais, incluindo xerostomia, disgeusia, candidíase e língua geográfica. Os pesquisadores, portanto, aconselharam os dentistas a permanecerem alertas aos sintomas na cavidade oral. Especialistas de várias universidades no Brasil vêm investigando o problema há algum tempo e publicaram recentemente uma atualização de seis meses que explicava como os sinais e sintomas orais em pacientes com COVID-19 têm prevalecido ao longo do tempo.

Amorim dos Santos e equipe ressintetizaram dados qualitativos agrupando e comparando informações relatadas nos 40 estudos do artigo inicial e em 143 estudos incluídos recentemente. As condições da mucosa oral foram resumidas em representações esquemáticas, e todas as meta-análises para distúrbios do paladar foram refeitas para incluir os novos dados. No geral, a revisão de 183 estudos no total concluiu que xerostomia (43% de prevalência), distúrbios do paladar (38% de prevalência) e lesões da mucosa oral (20% de prevalência) são sinais e sintomas comuns em pacientes com COVID-19, independentemente de sua condição direta ou de natureza infecciosa indireta.

Os autores observaram que, embora os aspectos clínicos das lesões orais apresentados em relatos de casos e séries de casos sugiram coinfecções e comprometimento da imunidade, esse resultado apresentou evidência moderada de certeza. Eles ainda apontaram que esses resultados estão em discussão, e mais estudos serão necessários para confirmar sua associação com a infecção direta de SARS-CoV-2 na cavidade oral.

O estudo, intitulado “Oral manifestations in patients with COVID-19: A 6-month update,” foi publicado online em 29 de julho de 2021, no Journal of Dental Research, antes de ser incluído em uma edição. É um seguimento do estudo, intitulado “Oral manifestations in patients with COVID-19: A living systematic review,” que foi publicado na edição de fevereiro de 2021 do Journal of Dental Research.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2021 - All rights reserved - Dental Tribune International