Dental Tribune Brazil

Testes oferecem resultados promissores para a saúde bucal dos povos nativos

By Brendan Day, Dental Tribune International
April 01, 2021

BRISBANE, Austrália: Na Austrália, existem disparidades consideráveis de saúde bucal entre populações nativas e não nativas. Relatórios de saúde indicam que os australianos nativos, particularmente aqueles em comunidades remotas, são muito mais propensos a ter cáries múltiplas e doenças dentárias não tratadas devido a fatores como acesso deficiente a clínicas odontológicas, custo e falta de conhecimento. No entanto, um novo estudo de Queensland sugeriu que intervenções simples no tratamento de cárie dentária podem ter benefícios significativos em crianças nativas.

A pesquisa, financiada por uma bolsa de projeto do Conselho Nacional de Saúde e Pesquisa Médica da Austrália, foi conduzida antes da pandemia COVID-19 por uma equipe liderada pelo Dr. Ratilal Lalloo, professor associado da Faculdade de Odontologia da Universidade de Queensland. Vários membros da equipe de pesquisa já haviam publicado um artigo demonstrando a eficácia da fluoretação da água na redução da cárie dentária em uma comunidade nativa remota em Far North Queensland. Embora os suprimentos de água da comunidade tenham sido fluoretados a partir de 2005, o programa foi encerrado em 2011, e essa interrupção, de acordo com os pesquisadores, provavelmente levou a um agravamento da condição de cárie dentária entre a população local.

Os pesquisadores, portanto, procuraram descobrir que efeito intervenções preventivas simples, como a aplicação de um verniz fluoretado e a colocação seletiva de selantes de fissuras, teriam sobre os problemas de cárie na comunidade nativa.

“O objetivo geral do estudo foi determinar se as intervenções profissionais conhecidas por serem eficazes individualmente, mas deliberadamente aplicadas em conjunto para obter o efeito máximo, em comparação com o cuidado usual, estavam associadas a uma diminuição na incidência de cárie e eram econômicas”, disse o estudo. autores notados.

Aproximadamente 600 crianças entre 5 e 17 anos de idade foram convidadas a participar do estudo, e 408 delas consentiram com a realização de exames epidemiológicos de cabeça, pescoço e boca, bem como tratamento, se necessário. Desse grupo, 51% continuaram a receber exames de acompanhamento e tratamento durante os dois anos de observação seguintes. No geral, constatou-se que essas crianças tinham significativamente menos superfícies dentais com lesões de cárie no exame de acompanhamento de dois anos do que aquelas que não receberam nenhum tratamento.

“Embora nossa intervenção anual tenha reduzido a incidência de cárie, o incremento de cárie permanece inaceitavelmente alto nesta comunidade, mesmo em crianças que a receberam”, observaram os autores em seu artigo. “Essas intervenções consomem muitos recursos, portanto, deve-se considerar intervenções comprovadas com boa relação custo-benefício, como a reintrodução da fluoretação da água”.

Em entrevista ao Brisbane Times, Lalloo lembrou que a pesquisa já havia feito uma diferença positiva na vida das crianças nativas que receberam exames e tratamento quando necessário.

“Normalmente, na pesquisa, você não trata doenças existentes, mas, em nosso caso, recebemos fundos para empregar uma equipe clínica, e todas as crianças que participaram se beneficiaram com o tratamento de suas cáries”, disse ele.

Em declarações ao Dental Tribune International, Lalloo mencionou que a equipe de pesquisa agora tinha como objetivo “traduzir este trabalho em mudanças de políticas e práticas com base nas evidências do estudo”.

“Esperávamos retornar a esta comunidade para medir o impacto de não continuar a intervenção, mas os pedidos de financiamento, infelizmente, não foram bem-sucedidos”, acrescentou Lalloo.

O estudo, intitulado “Carious lesions in permanent dentitions are reduced in remote Indigenous Australian children taking part in a non-randomised preventive trial”, foi publicado em 28 de janeiro de 2021 na PLOS One.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2021 - All rights reserved - Dental Tribune International