Estudo descobre número alto de cáries em crianças com doenças cardíacas

Search Dental Tribune

Estudo descobre número alto de cáries em crianças com doenças cardíacas

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Doença cardíaca é uma das anormalidades mais comuns desenvolvidas em crianças. (Foto: sherrie smith/Shutterstock)
Dental Tribune International

By Dental Tribune International

qui. 16 maio 2013

save

RIO DE JANEIRO: Uma nova pesquisa brasileira sugeriu que crianças com defeitos cardíacos são mais propensas a terem uma saúde bucal ruim nos primeiros anos de vida do que as demais crianças. O estudo descobriu que a incidência de cáries era significativamente maior em crianças com doenças cardíacas congênitas.

A fim de analisar o perfil das crianças com doenças cardíacas congênitas, dentistas pediátricos revisaram os relatórios médicos e dentários de 144 meninas e meninos com idade de 3 a 5 anos e diagnosticados com a doença.

Eles descobriram que mais de 80% das crianças tiveram no mínimo uma lesão cariada e o principal índice de CPOD (dentes cariados, perdidos e obturados na dentição permanente) foi 5.4. A análise demonstrou que o número foi alto em crianças com doenças cardíacas congênitas cujos pais tiveram um nível educacional baixo. No estudo, 52% das mães e quase 46% dos pais estudaram apenas o ensino fundamental. A alta prevalência de cáries foi associada, em particular, aos pais de baixo nível educacional. A ausência do pai em famílias de mães solteiras também indicou um efeito na condição bucal.

Além disso, os pesquisadores entenderam que o consumo de medicamentos líquidos adoçados com sacarose aumenta a incidência de cáries e, também, gengivite. No estudo, eles descobriram que mais de 63% das crianças tomavam o medicamento diariamente.

Em adição, quase 22% dos pais mencionaram que dentistas se recusaram a tratar seus filhos no passado - fator que também pode ter contribuído para a baixa condição na saúde bucal das crianças.

De acordo com os pesquisadores, as doenças cardíacas ocorrem em 10 de 1.000 nascimentos. Esses pacientes frequentemente possuem baixa saúde bucal e é comum desenvolverem defeitos no esmalte, fator que aumenta o risco de cáries. A atenção e cuidado dado ao tratamento da doença cardíaca pode subestimar ou negligenciar a devida importância à saúde bucal, eles disseram.

Eles enfatizaram que o cuidado bucal é frequentemente insuficiente nas crianças de países em desenvolvimento, especialmente em crianças com doenças sistêmicas severas. Portanto, a educação em cuidados bucais precisa ser melhorada, concluíram os pesquisadores.

A informação obtida junto ao Serviço Odontológico do Instituto Nacional de Cardiologia do Rio de Janeiro.

O estudo foi publicado na edição da revista POB- Pesquisa Odontológica Brasileira em abril.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement