DT News - Brazil - Pesquisadores da UCLA desenvolvem tecnologia para reduzir drasticamente a peri-implantite

Search Dental Tribune

Pesquisadores da UCLA desenvolvem tecnologia para reduzir drasticamente a peri-implantite

Uma nova tecnologia UV leva a osseointegração e a desinfecção de implantes a um nível totalmente novo, potencialmente tornando a peri-implantite uma coisa do passado. (Imagem: Hryshchyshen Serhii/Shutterstock)

LOS ANGELES, EUA: Com casos relatados que chegam a 19%, a batalha contra a peri-implantite deixou médicos e investigadores constantemente à procura de formas de garantir que os procedimentos de implantes dentários possam ser mais eficazes e menos propensos a complicações pós-operatórias. Neste sentido, investigadores da Universidade da Califórnia, Los Angeles (UCLA) anunciaram uma nova tecnologia que reduz significativamente o risco de peri-implantite pós-operatória através de uma melhor osteointegração e remoção de materiais orgânicos da superfície do implante em menos de um minuto.

O estudo explorou uma nova abordagem para tornar os implantes de titânio mais compatíveis com o corpo humano. Com o tempo, as propriedades superficiais e a bioatividade dos implantes de titânio degradam-se devido à acumulação de moléculas orgânicas na sua superfície, impedindo a osseointegração uma vez colocados. Convencionalmente, um método chamado fotofuncionalização UV é usado para limpar a superfície do titânio e aumentar a sua capacidade de ligação ao osso. No entanto, este método é lento e pouco prático em ambiente clínico porque leva de 12 minutos a 48 horas. A nova tecnologia investigada neste estudo utiliza um tipo especial de luz ultravioleta chamada UV de vácuo (VUV) com comprimento de onda de 172 nm, que é muito eficaz na quebra de moléculas orgânicas indesejadas na superfície do titânio.

Os pesquisadores usaram o azul de metileno para simular essas moléculas e descobriram que a luz VUV poderia remover 57% desse corante em apenas 1 minuto. Este rápido processo de limpeza com luz VUV tem diversas vantagens potenciais, além da velocidade. Os implantes tratados com VUV exibiram quase 100% de osseointegração, o que aumentou a ancoragem em duas vezes e reduziu 60% nas medidas de suscetibilidade bacteriana. Todos os testes foram comparados com implantes de controle não tratados.

O Dr. Takahiro Ogawa, líder da equipe de pesquisa e professor da Faculdade de Odontologia da UCLA, comentou em um comunicado à imprensa: “Entramos em uma nova era na implantologia dentária. Esta tecnologia UV não só aumenta a eficácia dos implantes dentários, mas também melhora a qualidade de vida dos pacientes. As possibilidades são ilimitadas e estou extremamente entusiasmado com o impacto potencial na saúde oral e geral. Nosso objetivo é erradicar a peri-implantite.”

O VUV funciona bem em diferentes tipos de titânio e foi eficaz no tratamento do titânio em ampolas de quartzo, indicando a possibilidade de tratar os implantes em suas embalagens para preservar a esterilidade. Também tem utilizações potenciais com outros materiais e, como o tempo e a eficiência são cruciais em ambientes médicos, o processo VUV parece ser mais adequado do que os métodos existentes. Esta tecnologia também pode resultar em próteses que exijam menos implantes para seu suporte e uma menor necessidade de coroas de implantes de tamanho reduzido, de acordo com o comunicado de imprensa.

A crônica inicial da década de pesquisas sobre a tecnologia realizada pelo Dr. Ogawa é detalhada em artigo publicado no Journal of Functional Biomaterials. Na última pesquisa sobre VUV de 2023, o Dr. Ogawa ilustrou ainda que o novo tratamento UV de 1 minuto foi capaz de induzir as células gengivais a formar uma vedação de tecido mole ao redor dos implantes. Este novo desenvolvimento reduz o potencial de contaminação bacteriana do implante e peri-implantite associada.

A nova tecnologia de luz VUV oferece uma maneira mais rápida e eficaz de preparar implantes de titânio para cirurgia, melhorando potencialmente as taxas de sucesso dos implantes, garantindo melhor osseointegração e vedação. Este poderia ser um avanço significativo nos procedimentos médicos envolvendo implantes, tornando-os mais seguros e confiáveis.

O estudo, intitulado “Vacuum ultraviolet (VUV) light photofunctionalization to induce human oral fibroblast transmigration on zirconia”, foi publicado online em 29 de outubro de 2023 na Cells.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement