Estudo liga microbioma oral à depressão e ansiedade

Search Dental Tribune

Estudo liga microbioma oral à depressão e ansiedade

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Um estudo recente destacou mais uma vez a importância da saúde interdisciplinar ao vincular a presença de certas bactérias orais ao desenvolvimento de depressão e ansiedade. (Imagem: Black Salmon/Shutterstock)

XI’AN, China: Um corpo crescente de evidências sugere que as mudanças na microbiota intestinal desempenham um papel significativo no desenvolvimento de ansiedade, depressão e outros transtornos psiquiátricos. No entanto, a forma como o microbioma oral afeta a saúde mental tem sido pouco estudada. Para mudar isso, pesquisadores da Universidade de Xi’an Jiaotong conduziram um estudo de caso-controle sobre o assunto e encontraram uma ligação entre bactérias orais específicas e o desenvolvimento de depressão e ansiedade.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, os transtornos de ansiedade e depressão são doenças mentais prevalentes, cerca de 264 milhões sofrem do primeiro e 322 milhões do segundo em todo o mundo. A alta prevalência dessas doenças mentais e suas consequências negativas as tornaram altamente preocupantes, afirmaram os autores do estudo.

Os pesquisadores procuraram avaliar a relação entre os microbiomas salivares e do dorso da língua e a ansiedade e a depressão. Para esse fim, eles analisaram a predisposição genética individual de uma grande coorte do UK Biobank de participantes com depressão e com ansiedade contra controles em relação aos microbiomas salivares e do dorso da língua, usando os dados resumidos mais recentes de um estudo de associação do genoma do microbioma oral.

A equipe identificou interações significativas entre os microbiomas salivares e do dorso da língua e a ansiedade e a depressão. Eles descobriram que bactérias orais, como Centipeda periodontii , Granulicatella e Eggerthia , estão associadas a ambas as doenças mentais.

Pode haver vários mecanismos para a ligação entre má saúde bucal e transtornos mentais. Sabe-se que a doença periodontal afeta a gengiva e o periodonto e que as bactérias podem entrar na corrente sanguínea através de danos à gengiva e, se a barreira hematoencefálica estiver enfraquecida, também podem entrar no cérebro. Por meio de substâncias mensageiras promotoras de inflamação, a doença periodontal também pode influenciar indiretamente o sistema nervoso central.

Os mecanismos exatos pelos quais essas condições se desenvolvem e possíveis formas de prevenção, por exemplo, cuidados dentários (profilaxia periodontal), higiene oral e estratégias nutricionais, precisam agora ser mais investigados.

“Este trabalho destaca a necessidade de mais pesquisas sobre o papel potencial do microbioma oral nos transtornos de saúde mental para melhorar nossa compreensão da patogênese da doença, potencialmente levando a novos alvos de diagnóstico e estratégias de intervenção precoce”, concluíram os autores do estudo.

O estudo, intitulado “A genetic association study reveals the relationship between the oral microbiome and anxiety and depression symptoms”, foi publicado online em 10 de novembro de 2022 na Frontiers in Psychiatry.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement