Dental Tribune Brazil

Assistência odontológica eletiva suspensa em Dubai

By Jeremy Booth, Dental Tribune International
February 24, 2021

DUBAI, Emirados Árabes Unidos: O tratamento dentário não urgente foi suspenso no emirado de Dubai, a cidade e o território mais populoso dos Emirados Árabes Unidos. De acordo com a Dubai Health Authority- DHA (Órgão de Saúde de Dubai), a medida de precaução visa proteger os pacientes e profissionais de saúde do SARS-CoV-2 e impedir a propagação do vírus.

O DHA avisou hospitais e prestadores de saúde no final de janeiro que o atendimento odontológico não urgente seria suspenso e que o número de clínicas odontológicas em funcionamento no emirado seria reduzido.

A Gulf Business informou em 27 de janeiro que os serviços odontológicos serão fornecidos apenas de domingo a quinta-feira, entre 7h30 e 21h30. nos seguintes hospitais: Centro de Saúde Al Mizhar, Centro de Saúde Nad Al Hamar, Centro de Saúde Al Barsha, Centro de Saúde Al Safa, Centro de Saúde Al Mamzar (apenas cuidados pediátricos), Hospital Rashid e Hospital Hatta. Os casos de emergência serão tratados nos centros Nad Al Hamar e Al Barsha, e os pacientes com consulta prévia serão tratados nas demais instalações.

A administração odontológica do DHA enfatizou que os casos urgentes estão sendo tratados sob estritas medidas preventivas, a equipe odontológica vestindo protetores faciais e aventais médicos de corpo inteiro, de acordo com a Gulf Business.

A mídia local informou que as medidas permanecerão em vigor até novo aviso e que os procedimentos cirúrgicos não urgentes foram suspensos até 19 de fevereiro para que o atendimento aos pacientes com COVID-19 possa ser priorizado.

Os Emirados Árabes Unidos suspenderam o tratamento odontológico eletivo em março de 2020 para limitar a disseminação da SARS-CoV-2. Os cuidados eletivos foram retomados em meados de junho de 2020, quando as restrições de saúde no país foram atenuadas.

A suspensão do tratamento odontológico eletivo atualmente se aplica apenas ao Emirado de Dubai, apesar do aumento do número de infecções nos Emirados Árabes Unidos em janeiro. O país registrou 3.251 novos casos em 5 de fevereiro e 14 mortes, de acordo com dados da Autoridade Nacional de Gestão de Crises e Desastres de Emergência do país. Um total de 320.126 casos de SARS-CoV-2 e 902 mortes associadas foram registrados nos Emirados Árabes Unidos desde o início da pandemia.

Dubai emergiu como um importante destino turístico durante a pandemia, principalmente para estrangeiros ricos que buscam escapar de medidas preventivas exaustivas em seus países de origem. Os casos de COVID-19 aumentaram drasticamente após a véspera de Ano Novo, e a monarquia de Dubai foi forçada a reagir - intensificando sua campanha de vacinação e introduzindo novas restrições à vida pública e privada. O xeque Mohammed bin Rashid al-Maktoum, governante do emirado, substituiu o diretor-geral do DHA, Humaid al-Qutami, inesperadamente e sem explicação em 25 de janeiro.

A partir do mês de fevereiro, as novas restrições em Dubai estipulam a redução da capacidade de hotéis (70%), cinemas e outros locais com assentos internos (50%) e shoppings, piscinas e praias particulares (70%). Os pubs e bares fecharam suas portas durante o mês e os restaurantes e cafés devem fechar por volta da 1h da manhã.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2021 - All rights reserved - Dental Tribune International