A aprovação da FDA marca um passo importante para o software Second Opinion

Search Dental Tribune

A aprovação da FDA marca um passo importante para o software Second Opinion

E-Newsletter

The latest news in dentistry free of charge.

  • This field is for validation purposes and should be left unchanged.
Pearl apresentou estudos clínicos à FDA que mostraram que os médicos que usaram o software baseado em IA Second Opinion identificaram 36% mais lesões do que aqueles que trabalharam sem assistência de IA. (Imagem: AshTproductions/Shutterstock)

WEST HOLLYWOOD, Califórnia, EUA: Second Opinion, uma ferramenta de diagnóstico de inteligência artificial (IA) que auxilia na radiografia odontológica, foi liberada pela Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA- sigla em inglês) dos EUA para uso por profissionais de odontologia no país. Este marco segue a recente aprovação do software pelos reguladores de saúde na Austrália e Nova Zelândia e a concessão da marca europeia CE. O software foi desenvolvido por Pearl, e o fundador e CEO da empresa, Ophir Tanz, disse que a liberação foi um passo importante para os dentistas, que agora estão livres para mudar para o paradigma da IA ​​em sua prática clínica diária.

A Pearl é líder no desenvolvimento de soluções de IA para uso em odontologia, e sua ferramenta Second Opinion é uma solução de patologia em tempo real que auxilia os dentistas a detectar e diagnosticar com precisão condições dentárias comuns usando radiografias odontológicas. Uma plataforma de visão computacional que pode identificar e medir uma variedade de patologias, o software destaca potenciais áreas de interesse e fornece aos dentistas um segundo par de olhos.

A FDA liberou o software no início de março, e um comunicado de imprensa da Pearl explicou que os rigorosos requisitos de eficácia da agência foram superados pelos estudos clínicos que formaram a base do pedido da empresa para aprovação de mercado.

No total, Pearl submeteu quatro estudos clínicos ao regulador de saúde, e cada um dos estudos apresentou um conjunto de dados de mais de 2.000 imagens que foram interpretadas por dezenas de dentistas e radiologistas especialistas. Pearl disse que os estudos mostraram vantagens claras para os especialistas que usam o software Second Opinion. Aqueles que usaram o software de IA identificaram 36% mais lesões do que aqueles que trabalharam sem assistência de IA.

A empresa disse que a liberação da FDA marcou um passo importante na adoção de assistência odontológica assistida por tecnologia. Tanz comentou no comunicado à imprensa: “Esta liberação é um marco importante não apenas para nossa equipe e para os muitos dentistas, consultores e parceiros que contribuíram para o desenvolvimento da Second Opinion, mas também para a própria odontologia”. Ele explicou que a tecnologia assistida por IA trouxe consigo uma mudança de paradigma na tecnologia odontológica que, segundo ele, agregaria valor em todo o setor de saúde. “Como os raios X são uma parte regular da experiência de cada paciente odontológico, o primeiro lugar onde a maioria das pessoas encontrará o poder da tecnologia médica de IA será na cadeira do dentista. A liberação da FDA da Second Opinion tornou isso possível”, acrescentou.

O professor Markus Blatz, um dos principais líderes de opinião em odontologia restauradora e inovação digital, disse no comunicado à imprensa: “O benefício que a IA da Pearl traz para a comunicação do paciente no consultório odontológico – e a confiança que se segue – não pode ser exagerada nessa área que o impacto da Segunda Opinião será sentido mais imediatamente.”

O cofundador e diretor de tecnologia da Pearl, Cambron Carter, acrescentou: “Algoritmos de última geração que atualmente auxiliam na detecção de lesões cancerígenas podem agora ser aplicados para detectar muitas doenças dentárias que ocorrem com mais frequência. O padrão de atendimento em odontologia está prestes a subir de nível.”

Falando ao Dental Tribune International, Tanz previu que, à medida que os pacientes odontológicos colhem os benefícios da tecnologia assistida por IA, a própria odontologia se tornará um modelo para a rápida adoção da IA ​​em outras áreas médicas. “Então, ao mesmo tempo em que saudamos o futuro da odontologia com inteligência artificial, também damos as boas-vindas a um futuro alimentado por IA para todos os serviços de saúde”, disse ele.

Em outubro do ano passado, a Second Opinion recebeu autorização demercado pela Therapeutic Goods Administration da Austrália e pela Autoridade de Segurança de Medicamentos e Dispositivos Médicos da Nova Zelândia. No início de 2021, recebeu a marcação CE europeia e já está sendo usado diariamente por dentistas na América do Norte, Europa, Austrália, América do Sul e Oriente Médio.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement