Dental Tribune Brazil
De acordo com a Straumann, o mercado odontológico global contraiu cerca de € 3,7–5,5 bilhões em 2020, mas o crescimento das vendas agora voltou para todas as regiões. (Imagem: Monika Wisniewska/Shutterstock)

O crescimento das vendas no setor voltou a todas as regiões no final de 2020 – Grupo Straumann

By Jeremy Booth, Dental Tribune International
March 12, 2021

BASEL, Suíça: A pandemia de SARS-CoV-2 fez com que o mercado odontológico global se contraísse em 2020, comprimindo as margens dos consultórios e fabricantes. De acordo com o Grupo Straumann, o mercado odontológico global valia cerca de CHF 23 bilhões (€ 21 bilhões) no ano passado - abaixo de um valor estimado de CHF 27–29 bilhões em 2019. A empresa disse em seu relatório anual, no entanto, que todas as regiões voltou a crescer no quarto trimestre de 2020, liderado pela região Ásia-Pacífico (APAC).

A Straumann terminou 2020 com uma redução de 5,6% na receita orgânica. Em CHF 1,42 bilhão, a receita principal caiu 10,7%. Seu desempenho regional durante o ano refletiu amplamente a propagação e a gravidade da pandemia COVID-19. No final do ano, essa tendência foi difundida por mercados dentários dinâmicos que voltaram a crescer, apesar de permanecerem duramente atingidos pelo vírus. O CEO Guillaume Daniellot disse a analistas em uma teleconferência que 2020 foi um ano desafiador.

Ásia-Pacífico supera

A região APAC teve o melhor desempenho para a Straumann. Após as quedas esperadas na primeira metade do ano, as melhorias sequenciais na receita de vendas orgânicas no terceiro e quarto trimestre foram de 11% e 18%, respectivamente - compensando amplamente as quedas anteriores. Para o ano inteiro, as vendas totais da APAC somaram CHF 289 milhões, o que foi cerca de 5% menor do que as de 2019. A empresa disse que a China apresentou um crescimento dinâmico no quarto trimestre e que as vendas na Austrália, Japão, Nova Zelândia e Taiwan aumentou, mas a pandemia continuou a impactar as vendas na Coréia do Sul e na Índia. Em 2020, a região APAC foi responsável por 20% das vendas totais do grupo e 2% da redução da receita total da Straumann.

América do Norte volta a crescer

Straumann começou o ano com crescimento de dois dígitos na América do Norte. Isso durou até março, quando, segundo a empresa, os bloqueios na região “interromperam completamente” essa tendência. Seus negócios na região começaram a se recuperar em junho, quando as equipes odontológicas dos Estados Unidos e Canadá voltaram a trabalhar. A demanda reprimida por implantes e procedimentos dentários restauradores e o aumento das vendas de scanners intraorais e equipamentos de impressão 3D ajudaram a Straumann a retornar ao crescimento orgânico da receita na região - que atingiu 5% no quarto trimestre. As vendas totais em 2020 na região diminuíram 10%, para CHF 432 milhões, e a América do Norte foi responsável por 28% do declínio da receita da empresa em 2020.

Alemanha, Rússia e Turquia lideram a região da Europa, Oriente Médio e África

A região da Europa, Oriente Médio e África (EMEA) representou a maior parte (43%) do Grupo Straumann, e mais da metade (51%) de sua redução de receita total, em 2020. A pandemia afetou significativamente as vendas nas maiores áreas odontológicas da EMEA mercados como Itália, Espanha, França e Reino Unido, levando a quedas de receita na região no primeiro e segundo trimestres. No entanto, o fato de que os consultórios odontológicos permaneceram abertos na Alemanha ao longo do ano ajudou a estabilizar as vendas na EMEA. A maioria dos principais mercados odontológicos da região voltou a crescer no quarto trimestre, para o qual a Straumann registrou um crescimento orgânico das vendas de 5,9%. Daniellot disse que este resultado foi impulsionado pelas vendas não só na Alemanha, mas também na Rússia e na Turquia, que se notou que tiveram um forte desempenho ao longo do ano. No período de 12 meses, a receita caiu 8,3% na região EMEA.

América Latina crescendo apesar dos desafios

A região da América Latina teve o pior desempenho entre as regiões de Straumann em 2020, e Daniellot disse que havia sofrido o impacto "mais pesado e longo" da pandemia. Fortemente influenciado por contrações nas vendas no Brasil - o maior mercado da região para odontologia estética - as vendas de orgânicos no ano inteiro caíram 15% e a receita total caiu 35%. A região voltou a crescer no último trimestre, quando as vendas orgânicas aumentaram 3%. Daniellot comentou: “Recuperamos forte crescimento no Brasil, impulsionado pela Neodent e vendas de equipamentos digitais. Argentina e Chile também registraram fortes aumentos. Yller, nosso negócio de resina de impressão 3D, continuou com um excelente crescimento. ”

Embora a América Latina represente apenas 6% das vendas totais do grupo, foi responsável por 19% da queda da receita do grupo em 2020. No segundo trimestre, a receita na região despencou 70%.

Potencial em implantes dentários e alinhadores transparentes, apesar da pandemia

As vendas globais de implantes dentários totalizaram cerca de CHF 4 bilhões em 2020, dos quais a Straumann detinha uma participação de 27%. (Imagem: Grupo Straumann)

O Grupo Straumann é o sexto maior fabricante odontológico e seu amplo portfólio permite que a empresa atenda a cerca de metade do mercado odontológico global. Os implantes dentários representam a maior parte das vendas da empresa e, em seu relatório anual de 2019, a Straumann estimou que - "exceto eventos imprevistos" - o mercado global de implantes dentários cresceria 4-5% em 2020. Na verdade, a pandemia até agora causou o declínio do mercado global de implantes. Segundo a empresa, o mercado de implantes dentários pode ter diminuído até 15% “devido ao impacto de curto prazo do COVID-19”. As vendas totais de implantes dentários foram estimadas em CHF 4,6 bilhões em 2019 e CHF 4 bilhões em 2020, dos quais a Straumann detinha uma participação de 26% e 27%, respectivamente.

Apesar das contrações no mercado odontológico mais amplo, Daniellot disse que os motores de crescimento por trás da odontologia permaneceram inalterados, “incluindo o envelhecimento e o crescimento da população, o aumento da prosperidade, uma maior consciência da saúde bucal e estética e inovação para soluções mais amigáveis ao paciente”. Segundo ele, os transparentes alinhadores são atualmente um dos segmentos mais atraentes da odontologia pelo crescimento que a categoria está presenciando e pelas vantagens que oferecem em relação aos fios e braquetes convencionais.

Em julho de 2020, a Straumann investiu no DrSmile como um complemento ao seu portfólio de ortodontia. O provedor de alinhadores transparentes diretos ao consumidor com sede em Berlim, com sede em Berlim, triplicou de tamanho em 2020 e está ativo na Alemanha, Áustria, Espanha e França. “Esperamos que o crescimento da Ortodontia e da Implantodontia ultrapasse o mercado odontológico geral”, comentou Daniellot, acrescentando que os segmentos de equipamentos digitais de biomateriais e próteses sob medida também apresentam oportunidades de crescimento no médio prazo.

“O mundo hoje parece diferente em comparação com quando a pandemia começou”

Daniellot disse que 2020 foi um ano desafiador, mas que Straumann estava otimista sobre o futuro e o progresso que já havia sido feito no combate à pandemia e no fortalecimento dos consultórios odontológicos contra seus efeitos. “O mundo hoje parece diferente em comparação com quando a pandemia começou, embora ainda esteja influenciando nosso meio ambiente. O fluxo do paciente voltou. E a retomada da atividade dos consultórios odontológicos nos permitiu voltar a crescer no segundo semestre de 2020”, afirmou.

De acordo com Daniellot, a economia global ganhará impulso nos próximos dois anos e o PIB global deverá atingir níveis pré-pandêmicos até o final deste ano. “A projeção é de que a recuperação seja desigual entre os países, com a China crescendo fortemente, pois foi o primeiro país que começou a se recuperar e agora está controlando a pandemia de forma eficiente”, acrescentou.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2021 - All rights reserved - Dental Tribune International