Dental Tribune Brazil

Micróbios da língua podem indicar estado de saúde cardíaca

GUANGZHOU, China/SOPHIA ANTIPOLIS, França: A conexão entre saúde bucal e saúde geral é um foco contínuo de investigação em várias áreas da medicina. Novas pesquisas apresentadas no HFA Discoveries, uma plataforma científica da Sociedade Europeia de Cardiologia, descobriram que os micro-organismos na língua poderiam auxiliar na triagem, diagnóstico e monitoramento da insuficiência cardíaca e recomendaram que os mecanismos subjacentes a essa associação fossem estudados ainda mais.

Pesquisas anteriores mostraram que micro-organismos no revestimento da língua poderiam distinguir pacientes com câncer de pâncreas de pessoas saudáveis. Os autores desse estudo propuseram isso como um marcador precoce para diagnosticar o câncer de pâncreas e, como certas bactérias estão ligadas à imunidade, sugeriram que o desequilíbrio microbiano poderia promover inflamação e doença. A inflamação e a resposta imune também desempenham um papel na insuficiência cardíaca.

"As línguas dos pacientes com insuficiência cardíaca crônica parecem totalmente diferentes das de pessoas saudáveis", disse o Dr. Tianhui Yuan, autor do estudo de cardiologia e médico do Hospital nº 1 da Universidade de Medicina Chinesa de Guangzhou. “As línguas normais são vermelho pálido com um revestimento branco pálido. Os pacientes com insuficiência cardíaca têm uma língua mais vermelha com um revestimento amarelo e a aparência muda à medida que a doença se torna mais avançada.”

Yuan acrescentou: “São necessárias mais pesquisas, mas nossos resultados sugerem que os micróbios da língua, que são fáceis de obter, podem ajudar na triagem em larga escala no diagnóstico e no monitoramento a longo prazo da insuficiência cardíaca. Os mecanismos subjacentes que conectam micro-organismos no revestimento da língua à função cardíaca merecem mais estudos. ”

O estudo investigou a composição do microbioma da língua em participantes com e sem insuficiência cardíaca crônica, envolvendo 42 pacientes com insuficiência cardíaca crônica e 28 controles saudáveis. Amostras do revestimento da língua foram coletadas pela manhã antes dos participantes terem escovado os dentes ou tomado o café da manhã, e uma técnica de sequenciamento genético foi usada para identificar bactérias nas amostras.

Os pesquisadores descobriram que, enquanto pacientes com insuficiência cardíaca e pessoas saudáveis, respectivamente, tinham os mesmos tipos de micro-organismos no revestimento da língua, não havia sobreposição no conteúdo bacteriano entre os dois grupos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Latest Issues
E-paper

DT Brazil No. 3, 2015

Open PDF Open E-paper All E-papers

© 2020 - All rights reserved - Dental Tribune International