DT News - Brazil - Vaping põe em risco a saúde oral tanto quanto fumar, afirma EFP

Search Dental Tribune

Vaping põe em risco a saúde oral tanto quanto fumar, afirma EFP

A Federação Europeia de Periodontia chamou recentemente a atenção para os efeitos prejudiciais do vaping – que é frequentemente apresentado como uma alternativa mais saudável ao fumo – na saúde oral. (Imagem: Maria Surtu/Shutterstock)

BRUXELAS, Bélgica: Além dos efeitos prejudiciais para a saúde, fumar pode causar sérios danos à saúde oral, colocando os fumadores num risco aumentado de doença periodontal, perda de dentes e até cancro oral. Uma alternativa moderna ao fumo, preferida pela geração mais jovem, é o vaping, que é frequentemente visto como o menor dos dois males. No entanto, a investigação sobre os seus efeitos na saúde oral é limitada e as suas alegações de ser uma opção mais segura do que fumar cigarros convencionais têm sido exageradas.

A nicotina, um ingrediente comumente encontrado tanto em cigarros quanto em cigarros eletrônicos, restringe o fluxo sanguíneo para o tecido gengival. Outros produtos químicos contidos no vapor do cigarro eletrônico, incluindo formaldeído, propilenoglicol e benzeno, podem causar sérios danos dentários e causar destruição progressiva do periodonto.

De acordo com a Federação Europeia de Periodontia (EFP), os fumadores de tabaco têm uma maior consciência dos riscos do tabagismo para a saúde geral e oral. No entanto, afirmou que os utilizadores de cigarros eletrónicos são muitas vezes induzidos em erro ao pensar que a vaporização é uma opção menos prejudicial do que fumar.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, cerca de 1,3 mil milhões de pessoas em todo o mundo são consumidores de tabaco, e o tabaco mata mais de oito milhões de pessoas todos os anos, incluindo 1,3 milhões de não fumadores que estão expostos ao fumo passivo. As advertências regulares contra a vaporização muitas vezes apenas destacam os danos que causa ao coração e aos pulmões, mas não se referem à saúde oral, embora, como observou a EFP, as evidências mostrem uma ligação clara e indiscutível entre os cigarros eletrónicos e a má saúde oral.

“Os danos nas gengivas e nos tecidos que sustentam os dentes, muitas vezes até um estado irreversível, são um provável efeito adverso da vaporização”, afirmou o Prof. Andreas Stavropoulos, ex-presidente imediato da EFP e presidente do comitê de assuntos científicos da EFP. “Esse dano inclui a reabsorção permanente das gengivas e dos ossos que mantêm os dentes em funcionamento e na boca. O tratamento destes problemas, dependendo da extensão, é muitas vezes complicado e caro”, acrescentou.

A EFP incentiva os profissionais de saúde oral a absterem-se de recomendar a vaporização como forma de transição do consumo de tabaco. Em vez disso, os especialistas em saúde devem priorizar a oferta de orientações sobre a cessação do tabagismo a indivíduos que usam cigarros ou cigarros eletrónicos. Além disso, a EFP acredita que os profissionais de medicina dentária devem fornecer aos pacientes informações sobre os potenciais efeitos adversos da vaporização na saúde oral.

Outros efeitos colaterais da vaporização relacionados à saúde bucal incluem halitose, irritação na boca e garganta, edema paratraqueal, laringite, língua negra e cabeluda, estomatite nicotínica, dor de dente, descoloração dentária, cárie dentária, sensibilidade dentária, perda dentária, redução da dureza do esmalte e aumento do risco de Câncer.

Crescentes preocupações com a saúde no Reino Unido

De acordo com uma pesquisa conduzida pela organização sem fins lucrativos Material Focus, um número surpreendente de cinco milhões de vaporizadores descartáveis ​​estão sendo descartados no Reino Unido todas as semanas – quatro vezes mais do que em 2022. Devido aos temores crescentes sobre os riscos ambientais e para a saúde dos vapes descartáveis, o governo está planejando proibir sua venda no país.

Scott Butler, diretor executivo da Material Focus, afirmou que os vaporizadores descartáveis ​​são um dos produtos de consumo que mais desperdiçam o meio ambiente, são prejudiciais e perigosos já fabricados. No entanto, de acordo com o The Guardian , a Associação da Indústria de Vaping do Reino Unido está preocupada com o facto de a proibição apenas levar a danos adicionais, uma vez que os vapes acabariam por ser vendidos no mercado negro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement