DT News - Brazil - Tendências dentárias da era Viking identificadas em grandes escavações arqueológicas

Search Dental Tribune

Tendências dentárias da era Viking identificadas em grandes escavações arqueológicas

Um estudo realizado na Universidade de Gotemburgo sugeriu que a odontologia na Era Viking pode ter sido mais sofisticada do que se pensava anteriormente. (Imagem: Pandora Pictures/Shutterstock)

GOTEMBURGO, Suécia: O estudo de dentes e maxilares bem preservados desenterrados por arqueólogos é vital para a compreensão da vida quotidiana, da saúde, da dieta e das condições dentárias de períodos e regiões específicas. Um estudo recente investigou especificamente a patologia dentária da Era Viking com base em restos encontrados em Varnhem, na Suécia, e os seus resultados corroboram uma tendência crescente de cárie dentária desde os tempos pré-históricos até ao século XIX, relatada na literatura.

Para saber mais sobre as práticas que moldaram a saúde dentária dos povos antigos da região, os arqueólogos realizaram escavações em 2005 na Abadia de Varnhem, que forneceram restos intactos suficientes para estudar detalhadamente as condições dentárias das pessoas. O local inclui um grande cemitério com sepulturas dos séculos X ao XII. Os restos mortais de 171 indivíduos, incluindo aqueles com dentição completa e parcial, e dentição permanente, decídua e mista, foram selecionados pelos pesquisadores para análise. Ao todo foram avaliados 3.293 dentes.

Os pesquisadores indicaram que quase metade da população apresentava pelo menos uma lesão de cárie. A população adulta apresentou maior prevalência de cárie, 62% apresentando pelo menos uma lesão cariosa. A superfície radicular foi a mais suscetível à cárie, seguida pelas superfícies oclusal, mesial, distal, lingual e palatina. Embora os adultos pareçam ter perdido cerca de 6% dos dentes (sem incluir os terceiros molares), as crianças com dentição decídua ou mista não apresentavam evidência de cárie.

Um exemplo de Odontologia Viking da escavação arqueológica indica que foram feitos buracos para aliviar a infecção. (Imagem: Carolina Bertilsson/Universidade de Gotemburgo)

A autora principal, Dra. Carolina Bertilsson, pesquisadora associada da Universidade de Gotemburgo, declarou em um comunicado à imprensa: “Havia vários sinais de que os vikings haviam modificado seus dentes, incluindo evidências de uso de palitos de dente, lixamento de dentes anteriores e até mesmo tratamento dentário de dentes. com infecções. Isto é muito emocionante de ver, e não muito diferente dos tratamentos dentários que realizamos hoje, quando perfuramos dentes infectados. Os vikings parecem ter conhecimento sobre dentes, mas não sabemos se eles próprios fizeram esses procedimentos ou tiveram ajuda.”

Os pesquisadores documentaram cavidades preenchidas em molares que se estendiam até a polpa como forma de tratar infecções. Eles também observaram que infecções apicais estavam presentes em 4% dos dentes.

As descobertas fornecem informações sobre a vida cotidiana e a saúde bucal dos vikings, indicando problemas comuns como cáries, perda de dentes, infecções e dores de dente. Estas descobertas ajudam a preencher lacunas no conhecimento existente sobre a Era Viking e contribuem para a compreensão científica dos padrões de doenças ao longo do tempo. As conclusões deste estudo são particularmente impressionantes considerando os recursos disponíveis no período determinado.

O estudo, intitulado “Caries prevalence and other dental pathological conditions in Vikings from Varnhem, Sweden”, foi publicado online em 13 de dezembro de 2023 na PLOS ONE.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement