Dental Tribune Brazil

O estudo oferece novas visões sobre a doença periodontal e a resposta protetora do corpo

SEATTLE, EUA: O acúmulo de biofilme pode levar a muitos problemas de saúde bucal, incluindo gengivite, periodontite e perda de dente, bem como outras consequências graves para a saúde, como doenças cardíacas, diabetes, câncer, artrite e doenças intestinais. Para compreender melhor a variação individual na inflamação gengival, os pesquisadores recentemente identificaram e classificaram as respostas microbianas e do hospedeiro humano ao acúmulo de placa dentária. O estudo pode ajudar a explicar por que algumas pessoas são mais suscetíveis a problemas de saúde associados à inflamação.

O estudo incluiu 21 participantes, e os pesquisadores realizaram avaliação clínica e amostragem das bactérias orais em momentos iniciais e tardios. Depois de analisar os dados, eles descobriram que os participantes mostraram uma gama de respostas inflamatórias ao acúmulo de bactérias na boca, incluindo uma variação não identificada anteriormente na resposta do hospedeiro. Anteriormente, havia dois fenótipos de inflamação oral principais conhecidos, a saber, uma alta resposta clínica e uma baixa resposta clínica. No estudo, os pesquisadores identificaram um terceiro fenótipo, que eles chamaram de “lento”, uma vez que exibia uma forte resposta inflamatória retardada após o acúmulo de bactérias.

Além disso, o estudo revelou que os participantes com baixa resposta clínica demonstraram uma baixa resposta inflamatória a vários sinais de inflamação: “Na verdade, este estudo revelou uma heterogeneidade na resposta inflamatória ao acúmulo de bactérias que não foi descrita anteriormente”, coautor Dr. Richard Darveau, professor de periodontia e ciências da saúde bucal na University of Washington School of Dentistry em Seattle, disse em um comunicado à imprensa.

Coleta de amostra de bactérias orais de um participante do estudo. (Imagem: Shatha Bamashmous)

“Encontramos um grupo particular de pessoas que têm um desenvolvimento mais lento de placa, bem como uma composição distinta da comunidade microbiana antes do início do estudo”, explicou o coautor Dr. Jeffrey Scott McLean, professor associado de periodontia na universidade.

De acordo com os pesquisadores, compreender a variação na inflamação gengival pode ajudar a identificar melhor aqueles que apresentam risco elevado de desenvolver periodontite. Além disso, os pesquisadores acreditam que a variação na resposta inflamatória pode estar associada à suscetibilidade a outras condições inflamatórias crônicas associadas a bactérias, como a doença inflamatória intestinal.

Finalmente, os pesquisadores também identificaram uma nova resposta protetora do corpo que foi desencadeada pelo acúmulo de biofilme e que pode ajudar a salvar tecidos moles e ossos durante a inflamação. De acordo com o estudo, o mecanismo usa neutrófilos para regular a população bacteriana na boca, a fim de manter a homeostase saudável.

Discutindo a importância de uma boa higiene oral, Darveau comentou: “A ideia da higiene oral é, de fato, recolonizar a superfície do dente com bactérias apropriadas que participam da resposta inflamatória do hospedeiro para manter as bactérias indesejáveis do lado de fora”.

O estudo, intitulado “Human variation in gingival inflammation”, foi publicado online em 6 de julho de 2021, no Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2021 - All rights reserved - Dental Tribune International