DT News - Brazil - Dependência de nicotina entre os jovens: Austrália introduz restrições rigorosas à vaporização

Search Dental Tribune

Em resposta ao que se tornou uma epidemia de vaping, a Austrália adotou uma postura proativa ao implementar restrições rigorosas ao vaping para reduzir problemas de saúde relacionados ao vaping e dissuadir os jovens de adotarem o hábito perigoso. (Imagem: Alena Lom/Shutterstock)

CANBERRA, Austrália: A vaporização representa riscos significativos para a saúde geral e oral, uma preocupação que cresceu com o rápido aumento do uso de cigarros eletrónicos, especialmente entre os mais jovens. Apesar de sua popularidade entre os fumantes que desejam abandonar o vício, pesquisas mostram que os produtos de cigarro eletrônico não devem ser recomendados como tratamentos primários para a cessação do tabagismo. Isto deve-se aos riscos para a saúde associados, que podem rivalizar ou mesmo exceder os dos produtos tradicionais do tabaco.

De acordo com as informações fornecidas no website oficial do governo australiano , a pesquisa sugere uma forte associação entre vaporização e futuros comportamentos de fumar. Os dados mostram que os jovens que fumam triplicam a probabilidade de começarem a fumar cigarros. Além disso, o uso do cigarro eletrônico para parar de fumar permanece controverso. A investigação demonstra que muitos utilizadores de cigarros eletrónicos continuam a utilizar produtos de tabaco convencionais durante a transição para a vaporização, o que os expõe a níveis aumentados de produtos químicos tóxicos e pode ser prejudicial para a saúde oral e geral.

Dados de 2022 mostram que 17,9% das pessoas com idade entre 15 e 17 anos e 38,0% dos jovens adultos com idade entre 18 e 24 anos relataram usar dispositivos de vaporização na Austrália. (Imagem: Bennphoto/Shutterstock)

“Vaping está criando uma nova geração de dependência de nicotina em nossa comunidade. Representa uma grande ameaça ao sucesso da Austrália no controlo do tabaco”, disse Mark Butler, ministro australiano da saúde e dos cuidados aos idosos, num comunicado de imprensa. “O vaping foi vendido a governos e comunidades em todo o mundo como um produto terapêutico para ajudar os fumadores de longa data a deixarem de fumar. Não foi vendido como um produto recreativo – especialmente não direcionado aos nossos filhos, mas foi isso que se tornou”, continuou ele.

Em resposta à crise generalizada do vaping, o governo australiano está a assumir uma posição firme em relação ao vaping, implementando uma legislação que é mais robusta, melhorando a aplicação e fornecendo educação e apoio para abandonar os vapers. A partir de 1º de outubro de 2021, os australianos precisarão de receita médica para obter legalmente cigarros eletrônicos com infusão de nicotina. A partir de 1 de janeiro de 2024, o governo impôs restrições estritas relativas à importação, disponibilidade, publicidade e venda de produtos e líquidos de cigarros eletrónicos, tanto à base de nicotina como sem nicotina. Também existem planos para interromper completamente a importação e venda de vaporizadores sem receita médica a partir deste ano.

Além disso, a Administração de Produtos Terapêuticos está a trabalhar na introdução de regulamentações rigorosas que só permitirão aos retalhistas vender todos os produtos de cigarros eletrónicos em farmácias e apenas mediante receita médica. O governo também pretende aumentar os padrões mínimos de qualidade para vapes, exigir embalagens semelhantes às farmacêuticas e reduzir as concentrações e volumes permitidos de nicotina. Também está planejando proibir completamente todos os vaporizadores descartáveis ​​e de uso único.

Limitando o vício da nicotina na Austrália

Os objetivos das reformas do governo na regulamentação dos cigarros eletrónicos são multifacetados. Em primeiro lugar, visam prevenir e reduzir a dependência da nicotina, que é uma preocupação crescente em todo o mundo. O governo pretende desnormalizar o vaping, alterando a percepção do público para vê-lo como um risco para a saúde e não como uma tendência inofensiva. Além disso, as restrições foram concebidas para encorajar e apoiar os indivíduos nos seus esforços para abandonar os cigarros eletrónicos. Isto é complementado pelo aumento do apoio comunitário à cessação do tabagismo e pela promoção de um ambiente onde a cessação não seja apenas encorajada, mas activamente apoiada. Por último, o objetivo final da reforma é reduzir a tendência dos indivíduos de substituir o fumo pelo vaping ou vice-versa, promovendo, em vez disso, a cessação completa.

“Vaping está criando toda uma nova geração de dependência de nicotina em nossa comunidade.” — Mark Butler, ministro australiano da saúde e cuidados a idosos

As proibições de vaporização já existem em países como Brasil, Índia e Tailândia. Outros países, incluindo França, Alemanha e Reino Unido, estão a considerar proibir os vapes descartáveis ​​a partir deste ano.

De acordo com dados de 2022 fornecidos pelo Australian Bureau of Statistics, 14,4% dos adultos usaram cigarros eletrônicos e dispositivos vaping pelo menos uma vez, enquanto 4,0% relataram usar atualmente um dispositivo. Além disso, 17,9% das pessoas com idade entre 15 e 17 anos e 38,0% dos jovens adultos com idade entre 18 e 24 anos relataram usar dispositivos de vaporização.

Vaping e saúde bucal

A investigação sobre os efeitos da vaporização na saúde oral é inequívoca: existe uma ligação indiscutível entre o uso de cigarros eletrónicos e a deterioração da saúde oral . Por exemplo, o Dental Tribune International relatou estudos que descobriram que a vaporização aumentava o risco de desenvolvimento de cáries em pacientes e destacou a sua ligação única com a doença periodontal.

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

advertisement
advertisement