Dental Tribune Brazil

Projetar um novo sorriso a partir de uma foto facial

By Drs. Marco Del Corso, Itália, & Alain Méthot, Canadá
August 17, 2014

A odontologia estética depende da confiança profissional, enceramentos tradicionais e modificações artísticas de restaurações provisórias na boca para obter o resultado final desejado. Muitos dos artigos publicados sobre odontologia estética discutem os mesmos princípios da criação do sorriso: Proporção Áurea, arquitetura da gengiva, perfil de emergência e formato relacionado à anatomia facial. Esses princípios têm sido respeitados sem nenhum avanço significativo na técnica ou na apresentação do caso.

Neste artigo, demonstraremos o uso do programa Dental GPS, desenvolvido e testado nos últimos cinco anos. O sistema utiliza parâmetros capturados por uma foto digital pré-operatória da face para ajudar os clínicos no diagnóstico estético e automaticamente gerar o melhor sorriso virtual em cera em poucos minutos. A sugestão do sorriso é enviada ao laboratório para que os técnicos possam criar ou transformar o sorriso estético com precisão (Fig. 1).

Do diagnóstico ao projeto sorriso

O sistema gera enceramento virtual e prescrição laboratorial em minutos com arco facial digital, que captura a posição exata da linha média dental e facial com plano oclusal para prevenir deformações e troca de casos dos pacientes. O sistema de planejamento do diagnóstico e tratamento também usa o M Ruler, um algoritmo que analisa a melhor opção para todos os dentes do maxilar numa imagem digital que desenha o sorriso. 5 Comparado com a Proporção Áurea que oferece apenas uma proporção, 1: 618, o M Ruler determina as proporções do próprio paciente para a criação do sorriso.

O programa é utilizado para diagnosticar, planejar e executar mudanças no posicionamento, formato, dimensão e proporção dos dentes. A primeira vantagem dessa ferramenta é a rapidez com que se compartilha a proposta estética com o paciente, fazendo dele ou dela um participante ativo no plano de tratamento. A precisão em transferir todas as coordenadas da proposta computadorizada em 2-D para enceramento 3-D permite ao dentista, especialistas associados e técnicos do laboratório acessar e compartilhar informação sobre o plano de tratamento, status dos procedimentos realizados e resultados finais do caso. Se no decorrer do processo alguma correção for necessária, é relativamente simples receber e dar autorização para todos os envolvidos.

embedImagecenter("Imagecenter_1_1339",1339, "large");

Diagnóstico

Obter o diagnóstico é simples ao importar uma foto facial para o programa de computador GPS e o programa estabelece os parâmetros do melhor sorriso para o paciente.

Uma fotografia completa da face do paciente é tirada diretamente da frente posicionando as lentes na linha do nariz do paciente (Fig. 2a). A fotografia é tirada com o plano horizontal de Frankfurt do paciente em paralelo ao chão. A linha interpupilar não é importante no processo porque geralmente um olho é mais baixo que o outro. O eixo longo da face e a linha do lábio superior são os planos de referência para o planejamento do diagnóstico e tratamento.

O arco facial fornecido pelo programa é ajustado pelo operador para encaixar nas bordas incisivas e linha média dentária do paciente. Depois, o arco facial digital é girado para encaixar no eixo longo da face, eixo vertical e lábio superior no aspecto horizontal (Fig. 3).

O zoom da foto é automaticamente feito para posicionar o M Ruler sobre a face. Isso ajuda o clínico a diagnosticar assimetrias facial e maxilar, dentes mal posicionados, discrepâncias da arquitetura gengival, inclinação imprópria de eixo, desvio da linha média dental, ou indicações para cirurgia maxilo-facial e/ou tratamento ortodôntico (Fig. 4).

Sem os dados da face do paciente, é impossível avaliar o sorriso e sua harmonia no contexto facial do paciente. Como parte do diagnóstico, é necessário avaliar assimetria facial e dental. Como clínicos, nós precisamos ter em mente a estética global vendo a face por completo no laboratório (Fig. 5). As fotos do sorriso do paciente, quando tiradas de perto, ajudam na criação do sorriso, mas uma foto da face completa é necessária para avaliar o sorriso no rosto do paciente. 

Simulação

O programa de computador cria uma simulação como um enceramento virtual. O clínico usa o enceramento virtual no processo de diagnóstico para determinar as opções de tratamentos apropriados para o paciente, como ortodontia, coroas, implantes, pontes, ou dentaduras parciais ou completas. Esse processo ajuda o clínico na apresentação e na conversa com o paciente sobre as diferentes opções durante a consulta (Fig.6).

O plano de diagnóstico e tratamento utiliza o M Ruler. Essa ferramenta de diagnóstico para a criação do sorriso usa um algoritmo baseado na dimensão dos incisivos centrais superiores e na dimensão do arco maxilar para apresentar um arranjo ideal de todos os dentes mostrados no sorriso (Fig. 7). Cada paciente tem uma dimensão única do arco maxilar e medida central superior. A melhor posição dos dentes do maxilar deveria ser entre as linhas da dimensão do arco superior e da dimensão dos incisivos centrais.

Essas linhas verticais guiam os profissionais a determinar a melhor posição do arco maxilar e dos dentes em relação à face, à gengiva e lábios do paciente para a criação do sorriso.

A simulação do programa ou o enceramento virtual pode ser gerado em minutos e ajuda (ou guia) o clínico na determinação das opções de tratamentos, que podem ser apresentados e conversados com o paciente numa única consulta.

Neste caso em particular, a simulação sugere incisivos centrais longos para criar uma linha de sorriso que siga o lábio inferior e dê uma proporção mais satisfatória para o sorriso. O clareamento do dente também foi indicado (Fig. 8).

A comunicação com o laboratório

Após o enceramento diagnóstico virtual, o paciente foi informado sobre as opções de tratamento, incluindo os riscos, benefícios, custos ou simplesmente a ausência total de tratamento. O consentimento para o tratamento foi obtido, que autoriza colocar dez facetas do segundo pré-molar ao segundo pré-molar oposto no arco maxilar e dez facetas no arco mandibular.

Uma vez que a simulação (Fig. 8) tenha sido aceita pelo paciente, impressões com alginato dos arcos do maxilar e mandíbula são emitidas e enviadas ao laboratório com um registro6,7 feito com LuxaBite (DMG America). A prescrição estética foi enviada para um laboratório de odontologia certificado, que montou o modelo 3-D num articulador de acordo com a prescrição do sorriso GPS e encerou o produto final de acordo a linha do sorriso futuro (Figs. 9a & b). Devido à calibragem da imagem, as coordenadas para enceramento são muito precisas (Fig. 10).

A comunicação com o laboratório é um fator crítico no desenvolvimento do enceramento diagnóstico. Com o objetivo de reproduzir a simulação (enceramento virtual), o técnico do laboratório precisa do posicionamento do tecido mole no articulador. Após simular o produto final respeitando o resto da face, o arco facial digital GPS posicionará o molde do maxilar no articulador com inclinação exata, rotação e linha da foto para reproduzir o enceramento virtual em restaurações provisórias e finais. O M Ruler direciona o enceramento do futuro sorriso. Esse processo é na realidade o mais fácil para transmitir todos os dados estéticos referentes ao tecido mole facial ao laboratório.

Realização do projeto

O modelo do enceramento foi usado para fabricar um guia preparativo para atuar numa preparação minimamente invasiva, controlando a espessura da cerâmica e mantendo a integridade da estrutura do dente. Uma impressão de silicone do enceramento foi feita pelo Sil-Tech Putty (Ivoclar Vivadent) e a impressão foi preenchida com material provisório Luxatemp na cor A2 (Luxatemp, DMG, USA) e depois realinhado os dentes preparados com o objetivo de criar um molde.

Uma vez que o enceramento foi utilizado para criar um molde preciso, o molde foi escaneado e um guia foi constituído para o sistema CEREC (Sirona) projetar (Figs. 11a–c) e produzir paralelamente dez facetas do maxilar e mandíbula usando blocos IPS Empress CAD (Ivoclar Vivadent). As restaurações finais foram sucessivamente pigmentadas, esmaltadas e cimentadas com a cor A3 Variolink (Ivoclar Vivadent; Figs. 12a & b).

No final do tratamento, a linha do sorriso foi corrigida para acompanhar a linha de contorno do lábio inferior, e os resultados final do sorriso foram harmonizados com a face do paciente. Ambos incisivos centrais superiores prevaleceram e foram recriados com dimensão e extensão específica pelo programa GPS para adaptarem-se à face do paciente. O resultado estético final preenche as expectativas do paciente, e a melhoria do sorriso e da aparência facial foram alcançadas (Figs. 13a & b).

Discussão

Ao utilizar uma simples fotografia pré-operatória da face do paciente, o clínico dental pode diagnosticar, criar um plano de tratamento, e produzir com precisão um enceramento virtual e prescrição laboratorial em menos de 10 minutos. O programa nesse caso usa o M Ruler para determinar o melhor sorriso do paciente.

A regra da Proporção Áurea, ou Divina Proporção, representa uma medida de 1:1.618. Essa proporção tem sido usada numa infinidade de aplicações por muitos anos, e é conhecida nas artes e arquitetura há séculos. No decorrer dos anos, a regra da Proporção Áurea tem sido usada em estética facial e odontologia para fornecer base matemática para a criação de sorrisos agradáveis e estéticos pela determinação de proporções apropriadas dos incisivos centrais e laterais, e dos caninos no sorriso. Entretanto, muitos autores observaram que a disposição dos dentes naturais não seguem a regra da Proporção Áurea e essa regra não pode ser aplicada universalmente em todos os pacientes. Com o objetivo de um bom resultado estético, a medida da regra da Proporção Áurea precisa ser modificada ou adaptada para cada paciente.

Essa regra da Proporção Áurea modificada é alcançada pela aplicação de uma fórmula matemática relacionando a distância intermolar de cada paciente, representando a dimensão do arco e a dimensão dos incisivos centrais para determinar o equilíbrio correto para o dispor dos dentes naquele arco para criar um sorriso agradável.

O enceramento virtual por computador gera uma prescrição eletrônica que pode ser enviada ao laboratório para criar um enceramento preciso do sorriso proposto. Uma vez a posição do molde do maxilar corresponde ao sorriso prescrito e articulador, é possível fabricar restaurações provisórias e finais que combinem com o enceramento virtual do programa. Isso guia o técnico do laboratório no ajuste de cada restauração final de acordo com a dimensão, largura e posição para estabelecer a nova linha de sorriso, plano oclusal e dimensão vertical da oclusão (Figs. 13a & b). O ceramista segue apenas a prescrição digital GPS para criar as restaurações finais.

Esse novo conceito permite aos clínicos criar fluxo de trabalho cosmético em suas clínicas. A simulação visual permite ao paciente compreender o plano de tratamento desde a imagem pré-operatória até a cimentação final das restaurações. Muitos projetos estéticos podem ser simulados e conversados com o paciente na primeira consulta, enquanto no laboratório de enceramento tradicional o paciente tem a possibilidade de visualizar apenas uma criação de sorriso, geralmente sem nenhuma ideia do resultado estético final com relação ao resto da face. Moldes tradicionais também ajudam os clínicos e os pacientes a avaliar a criação do sorriso; entretanto, em muitos casos de diastemas ou mal posicionamento dos dentes, o molde —derivado de cera tradicional— ainda sim dá apenas uma alternativa e não pode simular o resultado final com precisão sem reduzir o dente. Em adição, ele requer muito trabalho para retirar a impressão, criar o enceramento e testar o molde na boca do paciente para uma avaliação. Mesmo se um enceramento diagnóstico for feito pelo laboratório e for apresentado ao paciente, ou se um provisório for feito de cera e testado como molde na boca do paciente, esse enceramento pode não ser a solução para aquele paciente em particular.

Conclusão

Este artigo demonstra a precisão da imagem usando o arco facial digital, um sistema de molde 3-D que requer uma única foto da face do paciente, e o M Ruler, um aparelho de diagnóstico para a criação do sorriso.

Os clínicos são capazes de adaptar o melhor sorriso à face do paciente em minutos ao testar diferentes sorrisos simulados usando tecnologia transformadora para criar sorrisos previsíveis e agradáveis a seus pacientes. Esse simples método economiza tempo e consultas de retorno. Além disso, os pacientes recebem um tratamento odontológico estético melhor ao visualizarem sorrisos personalizados, e podem participar ativamente no processo de criação do sorriso.

Nota editorial: O editor disponibiliza uma lista completa de referências.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

© 2019 - All rights reserved - Dental Tribune International